Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Imagem RR

 

O Deputado e Líder de Bancada do PSD, Luís Montenegro, indignou-se hoje com a falta de capacidade argumentativa e falta de capacidade de ouvir a oposição, que, pelo rumo do país, será uma realidade a que terá de se habituar dentro de um ano, quando ele próprio, líder ou não da sua bancada, se encontrar inserido num grupo parlamentar da oposição. Ignorando se, à luz da discussão, tenha ou não o PEV, condições para se apresentarem como grupo autónomo, o facto é que, tal e qual, como Pedro Passos Coelho tem que governar de acordo com os preceitos constitucionais vigentes à data, mesmo discordando abertamente deles, também o PEV, à luz da lei actual tem o direito de se constituir como grupo independente e autónomo no parlamento, já que as regras assim o permitem. Nessa matéria, o PEV é, e vai continuar a sê-lo, um grupo parlamentar por si só, não importa a similitude das suas opções e oratória com as do PCP.

 

 

O que se assiste é uma intolerância democrática às posições que são diferentes, de tal forma que se recorre a temáticas que nem sequer estavam em discussão mas que, habilmente, o PSD traz a debate para desviar a discussão do assunto levado a plenário, a fiscalidade verde. Fiscalidade para uns, formas de gerar receita para outros. Essa era, de facto, a discussão em curso. Acontece que, o desgaste e o desnorte daqueles que, a qualquer custo querem impor mais sacrifícios à custa do progresso da nação, à custa do desinvestimento social e, contra todas as formas de postura ética, levam a que, invariavelmente, se vejam forçados a defender o indefensável. O PSD, que na pessoa de Luís Montenegro diz que o PEV nunca foi a sufrágio é, curiosamente o mesmo partido que aplica medidas que nunca foram, elas próprias, a sufrágio. Ninguém votou nestas medidas de austeridade, antes pelo contrário, é cada vez maior o coro de protestos contra a actuação social-democrata, inclusivamente de figuras proeminentes do próprio PSD.

 

A agenda política é tão ou maus fraudulenta que, a perspectiva ilegal que o PSD tem do PEV, isso é um facto evidente e, por ventura, bem mais grave que a dialéctica proferida hoje na Casa da Democracia. Não tem o Deputado Luís Montenegro, a legitimidade nem, muito menos, a rectidão ética para falar de fraude já que este governo é, no seu todo, uma fraude daquilo dizia antes de ser eleito.

 

Quem diz que o próximo Orçamento Geral do Estado "é um Orçamento que abre uma nova esperança no país, não está, nada mais, nada menos, que a defraudar qualquer bom senso, a impingir mentiras e falsas esperanças a um povo bastante fustigado pelo empobrecimento geral do país. voltando aos acontecimento de hoje, o PSD, incapaz de argumentar, não tem outra alternativa retórica que recorrer ao seu velho truque na hora de virar as atenções para o acessório, o ataque, sabe-se lá a sua pertinência no âmbito do que estava a ser debatido, ao PEV em detrimento do assunto, muito mais importante que estava a plenário.

 

O PSD, de resto, é hábil em, subtilmente, se revestir de autoritarismos camuflados de puritanismo, de facto, a maior fraude que alguma vez se abateu sobre a democracia portuguesa é o PSD e os seus constantes crimes sociais, que vão ao ponto de o PSD se achar acima da Constituição do País. Por exemplo, para falar juridicamente de fraude, o Art.º 73.º, do Orçamento do Estado em vigor, prevê a aplicação dos cortes ao abrigo do Art.º 33.º, declarado, na íntegra, Inconstitucional, porém, o o governo de Pedro Passos Coelho, e do PSD que acusa terceiros de fraude, continua a aplicar os cortes, inconstitucionais, aos regimes de prestação de serviços a que se refere o Art. 73.º. Se isto não é fraude, então o Deputado Luís Montenegro que cale a sua arrogância dialéctica no que toca a acusar o PEV de fraude.

 

In Público: "Lama", "cabecita" e "expressões arruaceiras" em discussão acesa no Parlamento

Autoria e outros dados (tags, etc)

Afixado às 21:32


Formulário de Inquirição:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




calendário

Outubro 2014

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Autos Mais Inquiridos




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D