Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 "Nós estamos aqui a dormir, algumas desde dia 1 [de Março], (...). Pusemos aqui [à entrada do Pavilhão Atlântico] as nossas mantas e as nossas malas (...). Tentamos arranjar aqui um cantinho para dormirmos (...)"
 "Tenho seis tatuagens para ele. (...) Tenho 15 anos."
 
É esta a geração que daqui por cinco anos irá ser a força activa do país, ou pelo menos, parte dela?
 
Quando se debate o estado do ensino em Portugal, os métodos pedagógicos, as técnicas e as condutas aplicar no seio da comunidade estudantil, o que resta da tradicional função familiar de educar as crianças para a vida? O que andam os pais a fazer para incutir nos filhos o sentido da responsabilidade, dos limites e mesmo da decência?
 
O Estado gasta hoje uma grande soma a "formar" gente desprovida dos mais elementares ensinamentos, e não estou a falar das matérias curriculares, falo da formação social do indivíduo para a responsabilidade. A verdade é que uma grande parte dos jovens, não tem a mínima noção da mediocridade, do ridículo a que se expõe, de até onde podem ir os limites da decência e da honra da sua própria imagem, desconhecem que no futuro, desaparecerão os alicerces paternais que sustentam toda a mascarada que se lhes permitiu viver, como se estivessem seguros pela mão protectora dos progenitores.
E que mão é essa? Que pais ou mães permitem que a sua filha de 15 anos faça uma tatuagem, algo íntimo que dura para a vida e quase irreversível, de um ídolo juvenil, que o mais certo é nem durar mais do que cinco anos, o tempo necessário para amadurecer, ou pelo menos tentar, que pais permitem isto?
 
A apelidada geração "Morangos", trouxe uma nova e perigosa concepção de estilo de vida baseada na permissibilidade cega e sem critérios, tudo é desculpável, os erros grosseiros e por vezes até a falta de respeito, com ela veio a queda acentuada dos valores morais, éticos e sociais, veio a ténue sensação de conforto nos mais jovens que não são preparados para o futuro, fora da alçada dos pais.
 
Em que país viveremos daqui a 20 anos?
 
Costuma-se dizer que a geração seguinte procura sempre dar mais aos seus filhos do que receberam dos seus pais. Contudo, a geração que se começa extrair do fins da década de 90 do século passado e inícios deste novo milénio, receberam de mais, ou melhor dizendo, de menos. Receberam um mundo super protector que se ria com os disparates juvenis e, achando-se em graça, não os repararam. Está à vista uma situação alarmante, em breves décadas, estaremos a braços com um país a duas realidades, aqueles manifestamente impreparados que terão que se sujeitar a tudo e aqueles que receberam, por sorte, uma educação que os preparou, dominantes. Não assistiremos a uma luta de classes, assistiremos a uma desigualdade formativa, não de escolaridade, mas de valores.
 
Tenho alguma apreensão quanto a isso. Num mundo cada vez mais agressivo e competitivo, como irão singrar? Já vimos o resultado de anos de facilitismo escolar, se lhe somarmos a falta de competências humanas e cívicas, o que restará?
No fim de contas, de quem é a culpa? Não é deles, essa juventude que não foi educada correctamente, a culpa é dos "papás" que pensaram que a escola era local de ensino dos valores morais, a culpa é toda uma geração que prostrou nos filhos a contestação ao ensino austero familiar e, que, estupidamente, passaram para eles aquilo que seu subconsciente se consideraram vítimas, a imposição de regras. Mas numa numa sociedade ninguém vive sem elas.
 
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Afixado às 10:59


Formulário de Inquirição:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




calendário

Março 2013

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31

Autos Mais Inquiridos




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D