Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]





Noticia o público aqui


Qual será a razão dessa preferência?

Não será antes um sinal da qualidade do ensino da medicina? Pelo menos em parte se deverá à política da necessidade de médias elevadas no acesso a este curso, o que concordo. Senão vejamos, é diferente tratar um curso que lida directamente com a vida das pessoas do que tratar um curso genérico qualquer. Logo é normal essa política, mas, de facto, produzimos menos médicos do que a real necessidade do país, digo real porque há quem pense que a necessidade se deve regular pela capacidade financeira, nomeadamente no ministério de Paulo Macedo.


Não é baixando a fasquia do acesso aos cursos de medicina que iremos colmatar a demanda por pessoal médico, especialmente no interior, é a velha questão de que para prover quantidade se opta sempre por regredir na qualidade e a longo prazo tudo isso se paga. O Estado deve combater este problema com a famosa reforma do sistema educativo, a tal que todos apregoam mas que nem de perto nem de longe está sequer programada. Mas é no ensino que está a génese da resposta a este e muitos outros problemas actuais da sociedade, se não há estudantes em número adequado às necessidades é porque, por um lado poderá nem sequer haver lugares no ensino e isso é uma matéria puramente financeira, por outro lado é porque as médias são elevadas ou, melhor dito, os alunos é que não sabem o suficiente.

O Estado se suprir essa lacuna evidente que é o baixo aproveitamento, não por culpa dos alunos, por culpa de se andar a brincar às políticas educativas, conseguiria uma maior débito de alunos em quantidade e qualidade no ensino superior, mas invés disso, promove-se o facilitismo, introduzem-se calculadoras e PC's no ensino básico e, claro, se os alunos não são treinados desde cedo à mecanização dos procedimentos básicos de matemática, língua, etc, nunca conseguirão atender ao tão afamado "Processo de Bolonha". Quem não adquire esse automatismo falta-lhe depois para, de forma autónoma enveredar por sua conta no estudo.

Esta notícia prova que o ensino superior em alguns casos tem qualidade, mas essa qualidade não pode ser posta em causa para favorecer estatísticas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Afixado às 17:13


Formulário de Inquirição:

CorretorEmoji

Notificações de respostas serão enviadas por e-mail.




calendário

Maio 2013

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Autos Mais Inquiridos




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D