Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Acordo com o sentimento de que poderia fazer alguma coisa. É certo que poderia, mas não o fiz e, todos aqueles que como eu não o fazem hão-de chegar a esta mesma conclusão. Acordamos todos com a ideia de não fizemos algo, não fomos além. Não nos excedemos, nada! Que sina a de levantar todos os dias com a única sensação de que andamos a deambular, passo a repetição, rumo ao nada, ao vazio, ao inerte, andamos num passo estacionário que nos desprende da liberdade. Confuso? Não, apenas andamos todos com as ideias soltas, sem amarras e carregadas de vícios.

 

- Não fazes nada, malandro. Vai trabalhar!

- Deixa-me em paz!!! Não vês que estou ocupado…

 


Ocupado? Não, quanto muito estarás a ocupar alguma coisa, o vazio talvez. Por acaso, alguém alguma vez pensou em ocupar o vazio? Filosoficamente falando é, claro, gritar ao silêncio para que se cale. Raios! Já não te suporto ouvir, quem me dera que tu morresses.


- Escuta-me que sou o silêncio que te invade de som na planície cravejada que é a tua mente, não tens vergonha? Vai à janela, olha com que calma harmoniosa se prendem as pessoas à azáfama diária, só tu, parvo de espírito, só tu é que estás a falar aqui comigo.

 

Detesto o silêncio que não fale comigo… Ajuda-me sempre tanto, vi-o nas doces palavras que braviamente me zuniam nos ouvidos, mas que fazer? Um dia, mato o Silêncio para que por fim se silencie.


- Não tenho vergonha? Parvo és tu, aprecio-te tanto ó Silêncio, mas aprecio-te mais quando não dizes nada, é claro que tenho vergonha. E te digo mais, meu companheiro, tenho mais vergonha de não a ter!

 

Eis senhores, que aqui vos trago a este Auto-da-Fé, o réu confesso cujo crime é não fazer nada mas que ao mesmo tempo faz tudo aquilo que não deveria fazer. Traz consigo o silêncio como advogado e que o mesmo é acusatório, defensor e juiz deste Auto.

 

Ora digam lá, se o mesmo se não passa convosco? Sem medos! Não deverei ser o único a sentir-me assim, vendo sem ver, sentindo sem sentir e, também, esperando sem esperança. Porém, digam, aqueles que como eu acordam com o sentimento de que poderiam fazer alguma coisa, se o nosso castigo não é maior do que o nosso crime?

 

Ainda assim, vos digo que numa primeira fase, penso que vou mudar o mundo, numa segunda fase já acho que o posso mudar, na terceira fase coloco isso em dúvida, mas na última fase, digo que, independentemente das fases anteriores, vou ser teimoso, negarei a terceira, duvidarei da segunda e, no final, implementarei a primeira!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Afixado às 18:12


Formulário de Inquirição:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.




calendário

Abril 2013

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930

Autos Mais Inquiridos




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D