Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Lisboa não se conhece em meia dúzia de passeios, leva tempo.

 

Quem me conhece sabe que não é de hoje a minha predilecção por passeios a pé pelo coração das cidades, e se esse passeio for num centro carregado de história, arquitectura e paisagem onde se mistura o tradicional com a modernidade bem regado de luz sob o manto escuro da noite, tanto melhor. Aliás, Lisboa a meu ver tem tanto para ver de dia como tem de noite e, em ambiente recessivo, é possível passar o tempo sem gastar dezenas de euros, de facto,  e não que eu gastasse dezenas de euros, em Tomar sair à noite representa, quase que a cem por cento, ir a um bar ou café que se estende para lá do horário habitual, com uma agravante, a oferta é escassa, pelo que sair à noite para admirá-la, também devido à sua dimensão, resume-se a uma ou duas horas de passeio.

 

Lisboa não, é certo que a zona do Cais do Sodré ao Bairro Alto e Chiado, sem esquecer a Rua Augusta e subindo até à Avenida da Liberdade, portanto a Baixa Lisboeta, oferecem muitas e variadíssimas ofertas, para todos os gostos e obviamente para todas as carteiras. Confesso que os meus gostos até se poderiam mesclar com os da oferta, mas seguramente a minha carteira não, qual troika qual quê, aqui só saem cêntimos de cada vez, temos que poupar.

 

Mas adiante, pode-se (e deve-se) escapar à tentação de seguir sempre a mesma rotina, afinal eu até nem estou de férias, então opto por desembarcar no Cais do Sodré, aquele que "mais vale parecer / que ser o que é" e das duas uma, iniciar a caminhada pela Rua do Alecrim, Praça do Camões, Chiado, Calçada do Duque e descer tranquilamente por uma das vias da baixa, Áurea, Augusta e da Prata. Em alternativa, tomar o metropolitano e avançar um pouco mais longe, talvez sair na estação do Parque ou do Marquês descer a Avenida, passar pelo Rossio e Praça da Figueira e descer a Rua da Prata, ao fundo está o metro para me levar ao cais ou, se tiver tempo, mais um voltinha a pé até à estação do Chiado via Terreiro do Paço e Rua do Ouro ou, se mais tempo houver, ir do Terreiro do Paço até so Cais do Sodré pela Rua do Arsenal.

 

Trajectos e alternativas não faltam bem como vistas admiráveis da cidade e sobre a cidade, o que pode mesmo faltar é o tempo necessário, porque Lisboa não se conhece em meia dúzia de passeios, leva tempo.

 

 

 

Fotografia tiradas por mim, (podem não ser as melhores :) )

Podem ser utilizadas por terceiros livremente, só peço uma chamada de atenção para este blogue. Obrigado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Afixado às 10:05




calendário

Agosto 2012

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Autos Mais Inquiridos




Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D